Visão Subnormal

A visão subnormal é um comprometimento significativo da visão que não pode ser corrigido com uso de óculos convencionais, lentes de contato e nem mesmo com intervenção cirúrgica. Trata-se de uma perda parcial da visão, que pode ocorrer devido a doenças congênitas, lesões, envelhecimento ou como resultado do agravo de doenças oftalmológicas.

Poucas pessoas são inteiramente cegas, ou seja, não possuem nenhum grau de visão. As que possuem algum grau de visão útil, insuficiente para a realização de atividades cotidianas, mas que pode ser potencializado com o uso de auxílios ópticos e não ópticos, têm a visão chamada de subnormal.

Existem 4 níveis de resposta visual:

  • Visão normal
  • Perda Moderada da Visão
  • Perda Profunda da Visão
  • Cegueira

Pessoas com perda moderada da visão, em conjunto com aqueles que apresentam perda visual profunda, são classificados com Visão Subnormal (ou Baixa Visão).
O termo “deficiência visual” engloba os termos visão subnormal e cegueira.

Outros sintomas da visão subnormal podem ser alterações do campo visual: a pessoa vê como se estivesse olhando por dentro de um tubo, por exemplo, ou apresenta uma mancha escura na parte central da imagem. Visão subnormal não é a mesma coisa que cegueira: o portador pode realizar tarefas normalmente, ampliando-se as imagens para leitura com acessórios ópticos, ou seja, aparelhos especiais para possibilitar a visão. São aparelhos como óculos com lentes mais fortes do que as comuns, lupas manuais, para que o portador possa segurar o livro na distância normal, ou a ajuda não-optica, como jornais e revistas impressos com letras maiores, teclados maiores, aparelhos que lêem em voz alta, etc.

A visão subnormal é adquirida, na maioria dos casos, congenitamente, como nos casos de catarata e glaucoma congênitos, e pode ser consequência de uma toxoplasmose adquirida (corioretinite macular) ou de um nascimento prematuro. O tratamento ideal para a visão subnormal deve ser feito por uma equipe de especialista, que inclui o oftalmologista, o ortoptista, o terapeuta ocupacional e um psicólogo. Cada um deles tem um papel essencial. O oftalmologista define o caso, o ortoptista otimiza os auxílios ópticos, o terapeuta ocupacional encarrega-se da reabilitação visual e o psicólogo ajuda a prevenir crises e também na integração familiar.

É importante frisar a diferenciação entre visão subnormal e cegueira completa: o portador da visão subnormal tem ao seu alcance diversos recursos que podem melhorar sua qualidade de vida e torná-lo independente e capaz de realizar as tarefas necessárias para o seu dia-a-dia.

Fonte: Sociedade Brasileira de Visão Subnormal

Atendimento Via WhatsApp

(62) 99346-1044