Ceratocone

O que é Ceratocone?

Ceratocone é uma enfermidade não inflamatória, que afeta a estrutura da córnea, a camada fina e transparente que recobre toda a frente do globo ocular. Sua principal característica é a redução progressiva na espessura da parte central da córnea, que é empurrada para fora, formando uma saliência com o formato aproximado de um cone. Esse defeito impede a projeção de imagens nítidas na retina e pode promover o desenvolvimento de grau elevado de astigmatismo irregular e miopia.

Ceratocone é uma doença genética, de caráter hereditário e evolução lenta, que se manifesta, geralmente, em pessoas com idade entre 10 e 25 anos, mas pode progredir até a quarta década de vida ou estabilizar-se com o tempo. A enfermidade pode atingir os dois olhos de maneira assimétrica, ou seja, o distúrbio pode afetar mais um olho do que o outro.

Causas

Ainda não se conhece a causa exata da doença. Possivelmente, as alterações na superfície da córnea sejam resultado de inúmeros fatores que contribuem para a perda de elementos estruturais dessa membrana e vão desde o decréscimo no aporte de colágeno até o ato de esfregar ou coçar os olhos com frequência. Por isso, o risco de desenvolver Ceratocone é maior nos pacientes alérgicos, que sentem muita coceira nos olhos.

Diagnóstico

O diagnóstico tem como base o levantamento da história clínica do paciente, as queixas de perda da acuidade visual e os defeitos de refração. A avaliação inclui o exame na lâmpada de fenda, um aparelho que permite analisar o olho em detalhes desde a camada externa da córnea até o nervo ótico.

Alguns exames complementares – topografia computadorizada da córnea, paquimetria corneana e a tomografia computadorizada, por exemplo – são úteis para confirmar o diagnóstico, avaliar a progressão da doença, o grau de comprometimento da área afetada e nortear o tratamento.

É sempre importante estabelecer o diagnóstico diferencial com outras doenças dos olhos que podem atingir a córnea. Quanto antes isso for feito, melhor será a resposta ao tratamento.

Sintomas

Há casos de pessoas com histórico familiar da doença que apresentam um quadro de Ceratocone subclínico, sem sintomas. Quando eles aparecem, porém, variam de acordo com a fase da doença. O mais característico é a perda progressiva da visão, que se torna borrada e distorcida (tanto para longe quanto para perto) e obriga a aumentar com frequência o grau das lentes dos óculos até que a solução é substituí-los por lentes de contato, que podem ser de diferentes tipos.

Fotofobia, comprometimento da visão noturna, visão dupla (diplopia), formação de múltiplas imagens de um mesmo objeto (poliopia) ou de halos ao redor das fontes de luz são outros sintomas da doença.

Tratamento

Nas fases iniciais, quando a deformação da córnea não é grave, o uso de óculos é suficiente para recuperar a acuidade visual. No entanto, à medida que o Ceratocone evolui, os óculos precisam ser substituídos por lentes de contato, que ajudam a ajustar a superfície anterior da córnea e a corrigir o astigmatismo irregular provocado pela deformidade.

Um avanço importante no tratamento do Ceratocone é o cross-linking, uma intervenção que tem por objetivo fortalecer as moléculas de colágeno da córnea para evitar que ela continue abaulando.

Prevenção

Ainda não se conhecem as maneiras de se prevenir contra o aparecimento do Ceratocone, uma doença de caráter genético e hereditário. No entanto, é possível controlar a evolução da doença nas pessoas geneticamente predispostas, corrigindo o hábito de coçar os olhos, tratando as atopias (rinite alérgica, alergias dermatológicas e asma) e reavaliando as condições de adaptação e higiene das lentes de contato, se for o caso.

Atendimento Via WhatsApp

(62) 99346-1044